Soluções Especiais

As nossas soluções foram feitas para empresas de todos os tamanhos. Foram criadas para que nossos clientes não tenham dor de cabeça e muito menos de se preocupar em solucionar problemas com Sobras de Estoques. Email this...
Saiba mais...

Supply Chain Management – SCM

O Supply Chain Management ou Gerenciamento da Cadeia de Suprimentos é uma ferramenta que, usando a Tecnologia da Informação (TI) possibilita à empresa gerenciar a cadeia de suprimentos com maior eficácia e eficiência, Nestes tempos modernos em que a exigência de consumo atingiu o limite extremo, o Supply Chain Management permite às empresas alcançarem melhores padrões de competitividade. Algumas considerações: Em qualquer sociedade industrializada ou não, produtos devem ser movimentados fisicamente entre o local onde são produzidos e o local de consumo. Exceto em culturas muito primitivas, na qual cada família satisfaz suas próprias necessidades domésticas, o processo de troca se transforma em pedra fundamental da atividade econômica. Trocas acontecem quando existe uma discrepância entre quantidade, tipo e tempo dos produtos disponíveis e os produtos necessários. Se um número de indivíduos ou organizações dentro de uma sociedade tem um excedente de produtos que alguém precisa, tem-se a base para as trocas. Canais se desenvolvem quando muitas trocas acontecem entre produtores e consumidores. O alinhamento das empresas que trazem produtos ou serviços ao mercado tem sido chamado de cadeia de abastecimento/suprimentos -supply chain.E, um termo que tem crescido significativamente no uso e popularidade desde o final dos anos 80, embora considerável confusão exista sobre o que na realidade ele significa é o Supply Chain Management – SCM (gerenciamento da cadeia de abastecimento). Muitas pessoas usam o termo como um substituto ou sinônimo para Logística. No entanto, a definição de Supply Chain Management é mais ampla do que o de Logística. O conceito de Supply Chain Management surgiu como uma evolução natural do conceito de Logística. Enquanto a Logística representa uma integração interna de atividades, o Supply Chain Management representa sua integração externa, pois estende a coordenação dos fluxos de materiais e informações aos fornecedores e ao cliente final. Assim, de acordo com o International Center for Competitive Excellence – University of North Caroline, 1994, SCM é a integração dos processos de negócios do usuário final através de fornecedores (originais) que fornecem produtos, serviços e informações e agregam valor para os consumidores. Um número de importantes diferenças existe entre esta definição de Supply Chain Management e a definição de Logística do CLM (Council of Logistic Management) – “Logística é o processo da cadeia de abastecimento que planeja, implementa e controla o fluxo de bens e serviços e as informações relativas, do ponto de origem ao ponto, de consumo de maneira eficiente...
Saiba mais...

Mercadorias de Seguradoras

Aqui têm Mercadorias de Seguradoras! No site de negócios LiquidaExpress.com têm muitas mercadorias advindas de Seguradoras. Se você deseja Comprar ou Vender Mercadorias de Seguradoras aqui é o lugar certo. Visite nosso site de negócios, ou, solicite uma ligação sem compromisso. Email this...
Saiba mais...

Como é feita a reciclagem do lixo eletrônico ?

Como é feita a reciclagem do lixo eletrônico ? A reciclagem do e-lixo consiste em 3 passos fundamentais: coleta, desmontagem/pré-processamento e refinação (processo final). Sendo mostrado na figura abaixo. Para cada passo há uma empresa ou pessoa especializada, sendo a eficiência dependente de cada uma dessas etapas. A coleta do e-lixo é a parte mais crucial, pois determina o montante de material a ser reciclado. Essa etapa pode ser comparada ao carroceiro de rua que separa o papelão, latas, entre outros. Mas, nesse caso, a pessoa que faz a coleta pega o material, por exemplo, o computador, e retira a placa mãe, memória RAM, etc (partes que contém grande quantidade de metal precioso) e a manda para uma empresa de reciclagem mais especializada, onde será feita a desmontagem. O foco da desmontagem/pré-processamento é liberar os materiais e encaminhá-los para processos adequados de tratamento final. As substâncias perigosas devem ser retiradas, armazenadas ou tratadas de forma segura, enquanto componentes valiosos/materiais deverão ser retirados para reutilização ou para ser direcionado para processos de recuperação. Isto inclui a remoção de baterias, capacitores, para então ir para o pré-tratamento. Baterias dos dispositivos podem ser enviadas para instalações específicas para a recuperação do cobalto, níquel e cobre. A refinação de metais após o pré-tratamento ocorre em três principais destinos: os pedaços de ferro são direcionados para usinas siderúrgicas, os pedaços de alumínio vão para fundições de alumínio, enquanto pedaços de cobre, chumbo, circuitos e outros metais preciosos vão para fundições de metal, que recuperam os metais preciosos, cobre e outros metais não-ferrosos, enquanto isola as substâncias perigosas. Por fim, há a reutilização desses materiais. Por que vale a pena reciclar. Em meados de 2008, o Centro de Computação Eletrônica (CCE) da USP fez coletas do lixo eletrônico existente dentro do próprio CCE. Todos os participantes desse centro levaram os equipamentos de suas casas e, desse modo, juntaram 5 toneladas de produtos descartados. Quando ofereceram esse lixo para empresas de reciclagem, eles descobriram que a quantia paga por esse montate foi de apenas R$1200. Perceberam, então, que as empresas de reciclagem se interessam apenas por um tipo de material, por exemplo, se o foco de uma empresa for metal precioso, ela não vai se interessar em pagar pelo plástico usado em computadores, celulares, entre outros. Tereza Cristina Carvalho, diretora CCE da USP, afirma que um computador desmontado pode valer de R$ 24 a R$ 40...
Saiba mais...

O que faz um gerente de Supply Chain?

Supply chain é um sistema de organizações, pessoas, tecnologias, atividades, informações e recursos envolvendo e movendo um produto ou serviço para suprir demandas e customizar o processo de produção. O gerente desse sistema é o responsável por garantir toda a estrutura necessária para que um produto, bem ou serviço, saia da empresa e seja entregue ao cliente da maneira mais rápida, segura e barata possível. Trata-se de uma atividade crucial, sobretudo em grandes organizações que demandam logística sofisticada. Ela envolve muitos recursos, tanto materiais quanto humanos, o que torna imprescindível ao candidato boa capacidade de organização e planejamento, excelente desenvoltura interpessoal, conhecimento profundo no ramo em que estará envolvido e constante atualização de sua formação. O gerente de supply chain organiza as relações entre fornecedores e logística, negocia contratos visando a redução de custos e melhoria da qualidade, cuida dos processos logísticos internos, otimiza o abastecimento e gerenciamento dos fornecedores, reduz e otimiza custos de estoque e a logística de transporte, entre outras funções. O que estudar? É indispensável o curso superior, em administração ou logística. Mas a experiência prática na área de logística também conta muito. Além disso, MBA’s e especializações nessa área, bem como domínio de línguas como inglês e espanhol são importantes. Email this...
Saiba mais...

Definições e Conceitos de Supply Chain Management

Definições e Conceitos de Supply Chain Management (definição e conceito de Gerenciamento da Cadeia de Suprimentos) Por: Aline Regina Santos Este documento foi desenvolvido tendo por base três papers relacionados ao conceito e aplicação da SCM. O primeiro a ser apresentado traz o conceito de SCM próximo ao de logística. O segundo, enfatiza o escopo mais amplo da SCM, com destaque para o uso da tecnologia da informação; e o terceiro traz a aplicação de sistemas de SCM. Para complementar o assunto, são resgatadas outras definições sobre SCM, tendo por base diversos autores. Ao final, são tecidos comentários sobre o conceito de SCM e suas características. Antes de comentar sobre os papers que nortearam o desenvolvimento deste trabalho, cabe explicar rapidamente do que se trata a cadeia de suprimentos. Todo o produto ou bem físico que adquirimos chega em nossas mãos pela existência de uma cadeia de suprimentos, que inicia no fornecedor inicial de matérias-primas e termina em nossas mãos, consumidores finais. Por exemplo, para comprar um suco de laranja em caixa no supermercado, é necessário que se tenha plantado laranjas, que estas tenham sido coletas e depois processadas na forma de suco, que o suco tenha sido embalado, transportado e finalmente distribuído nas redes de varejo (mercadinhos, supermercados) onde encontramos o produto. Esta seqüência de ações é conhecida por cadeia de suprimentos e envolve diversos participantes: desde a fábrica que processa o suco de laranja, até o produtor agrícola, a empresa que realiza o transporte, armazenagem, as redes atacadistas e varejistas e demais participantes. Para Ganeshan e Harrisson (1995) o gerenciamento da cadeia de suprimentos (SCM) trata-se de uma rede de facilidades e opções de distribuição, que tem por objetivo executar funções de compra de materiais, transformar matérias-primas em produtos acabados e semi-acabados, e distribuir estes produtos aos consumidores. Neste sentido, a SCM tem como principais decisões àquelas relacionadas à localização das fábricas, das unidades produtivas, dos centros de distribuição e armazéns, ou seja, da localização da sua rede. Além, decisões de produção, entre elas o que produzir, quais fábricas produzir, ligação dos fornecedores às fábricas e das fábricas aos CDs, também estão no escopo da SCM. Decisões de estoque (gerenciamento, armazéns, estratégia de estoques) e de transporte (modais, trade-offs) também figuram entre aquelas relacionadas a SCM. Com abordagem diferente, Metz (1998) acredita ser a SCM um processo orientado, com abordagem integrada, para compra, produção e entrega de...
Saiba mais...

O que é Supply Chain ?

O Supply Chain Management (SCM) é a gestão da cadeia de fornecimento. Segundo alguns estudiosos, a competição no mercado global não ocorre entre empresas, mas entre cadeias de fornecimento. A gestão da logística e do fluxo de informações em toda a cadeia permite aos executivos avaliar, pontos fortes, e pontos fracos na sua cadeia de fornecimento, auxiliando a tomada de decisões que resultam na redução de custos, aumento da qualidade, entre outros, aumentando a competitividade do produto e/ou criando valor agregado e diferenciais em relação a concorrência. Os resultados que se esperam da utilização de sistemas que automatizem o SCM são: Reduzir custos; Aumentar a eficiência; Ampliar os lucros; Melhorar os tempos de ciclos da cadeia de fornecimento; Melhorar o desempenho nos relacionamentos com clientes e fornecedores; Desenvolver serviços de valor acrescentado que dão a uma empresa uma vantagem competitiva; Obter o produto certo, no lugar certo, na quantidade certa e com o menor custo; Manter o menor estoque possível. Esses resultados são obtidos à medida que a gestão da cadeia de fornecimento simplificar e acelerar as operações que estão relacionadas com a forma como os pedidos do cliente são processados pelo sistema, até serem atendidos, e também, com a forma das matérias-primas serem adquiridas, e entregues, pelos processos de fabricação e distribuição. Concluindo, é fundamental que as empresas se preocupem com a integração desses conjuntos de soluções de gestão, automatizadas através da tecnologia de informação (Simchi-Levi, 2003), pois só assim será possível obter maior vantagem estratégica e competitiva. Um bom gerenciamento da cadeia de suprimentos, começa na avaliação dos gastos, no modelo atual de compras, na avaliação dos índices financeiros aplicados na renovação dos contratos por fornecedores e etc, não basta colocar um software de administração da cadeia, se não alterar o modelo de gerenciamento. A idéia do Supply Chain, é reduzir as atividades táticas, ampliando a ação estratégica. A área de suprimentos hoje, diferentemente de ontem, é responsável pelos resultados da empresa, a sinergia – ação dos órgãos simultaneamente, desenvolvida entre os departamentos fortalece a área que hoje, não só acompanha a aplicação dos contratos, mas como é responsável por todo o período de negociação. Os fornecedores nesse momento, passam a ser parceiros no desenvolvimento de produtos, a quantidade de fornecedores é reduzida e o controle dos KPI´s acordados passam a ser melhor administrados, vis a vis, a possibilidade de relatórios emitidos pela ferramenta utilizada, com equalizações...
Saiba mais...


Liquidation - Sobras Salvados Refurbished Pontas de Estoques e Logística Reversa Sobras de Estoques, Ativos de Baixo Giro, Salvados, Refurbished, Excesso de Estoque, Pontas de Estoques, Outlet, Corporate Barter e Logística Reversa., Se sua empresa necessita rapidamente de espaço, armazenamos suas Sobras de Estoques em nosso armazém e cuidamos de vendê-lo através do serviços de venda vend excesso de estoque, sobras de estoques, ativos de baixo giro, salvados, pontas de estoques, outlet, logística reversa, corporate barter, refurbished, atacado, atacadista, comprar, vender, venda consignada