Sobras de Confecção

Sobras de Confecção: O Brasil ainda tem de buscar lá fora o que há de sobra e vai parar no lixo por aqui: retalhos. Em 2011, o país importou 13.477 toneladas de trapos de tecidos, utilizados em indústrias de tecelagem, ao custo de US$ 13,6 milhões. “O Brasil é o quarto maior produtor mundial de algodão. Não faz o menor sentido importar retalhos“, diz Alfredo Emilio Bonduki, presidente do Sindicato das Indústrias de Fiação e Tecelagem do Estado de São Paulo. Um projeto que envolve confecções do Bom Retiro, na região central de São Paulo, a prefeitura e catadores quer mudar essa realidade. Todos os dias ao menos 12 toneladas de restos de tecidos são ensacadas e colocadas nas calçadas do bairro por funcionários e comerciantes das 1.200 confecções que funcionam na área. Pela lei, só os que produzem acima de 200 litros de lixo diário têm de contratar uma empresa para recolhê-lo. Como a maior parte é de pequenos negócios, são muitos os que descartam o lixo em frente ao seu comércio -e os retalhos vão parar nos aterros sanitários. 30 anos é o tempo que o tecido de poliamida (náilon) leva para se decompor. O poliéster necessita de mais de cem anos A sobra de tecido das confecções pode virar pluma e insumo para forração de automóveis e de colchões, fabricação de novos fios, tecidos, tapetes e carpetes, sacolas de supermercado, roupas e fabricação de feltros. Em nosso site de negócios LiquidaExpress.com tem Sobras de Confecção para Comprar e Vender. Por: CLAUDIA ROLLI E TONI SCIARRETTA Fonte: Folha de São Paulo 05.06.2012 Email this...
Saiba mais...

O que é Refurbished ?

A tradução para refurbished é recondicionado ou renovado, e essa tradução cria uma imagem de que o aparelho refurbished foi usado, desgastado e arrumado por um técnico. Mas este aparelho tem tanta qualidade quanto um aparelho não RB. Em todo o mundo e também aqui no Brasil, este processo ocorre em várias empresas que fabricam ou montam diversos produtos. Um contato com algum profissional da área da qualidade poderá explicar mais profundamente o assunto e, certamente, desmistificar de vez a imagem de que um aparelho RB é ruim e que não tem valor algum. Essa nova sigla foi criada para diferenciar produtos que tiveram que passar por uma revisão extra dentro da empresa que o fabricou. O primeiro tipo de RB chamada de incompany, surge quando, ainda na linha de montagem é detectado algum problema no produto. Este aparelho deve ser retirado da linha de montagem e passar por uma revisão minuciosa nas mãos de operários altamente capacitados, para ficarem iguais aos demais que saíram pelo final da linha de montagem. Porém, a norma ISO não permite que este aparelho receba o mesmo certificado que os demais, marcando-os como REFURBISHED. Esse tipo de RB recebe o nome de incompany porque o equipamento não chega a sair da empresa. Já o tipo RB return to company foi expedido algum dia pela empresa saindo pelo final da linha de montagem mas, por algum motivo ele teve que retornar à empresa para passar por um processo de revisão (aparelho ficou no estoque de alguma loja com produtos em consignação e esta devolveu para o fabricante; comprador não ficou satisfeito com o produto e devolveu para a loja, que por sua vez devolveu para o fabricante). A norma ISO determina que qualquer aparelho que volte para o fabricante depois de ser expedido uma primeira vez, também deve receber a sigla RB quando for expedido novamente. O nome return to company e dado porque o equipamento volta para o fabricante. A tradução para refurbished é recondicionado ou renovado, e essa tradução cria uma imagem de que o aparelho refurbished foi usado, desgastado e arrumado por um técnico qualquer. Mas este aparelho tem tanta qualidade quanto um aparelho não RB. Em todo o mundo e também aqui no Brasil, este processo ocorre em várias empresas que fabricam ou montam diversos produtos. Um contato com algum profissional da área da qualidade poderá explicar mais profundamente o...
Saiba mais...

Ativos de Baixo Giro

Você sabe realmente o que quer dizer Retorno Sobre o Patrimônio Líquido? Extremamente fácil de calcular, o Retorno sobre o Patrimônio Líquido, (ou do inglês “Return On Equity” – ROE) é uma arma poderosa no arsenal do investidor, se ele conseguir entender exatamente para que serve. O Retorno sobre o Patrimônio Líquido engloba três “alavancas” a disposição da administração para acelerar ou desacelerar uma empresa: a lucratividade; a administração de ativos; e a alavancagem financeira. Entendendo o Retorno sobre o Patrimônio Líquido como uma composição dessas três alavancas a disposição da administração, os investidores poderão ter uma boa idéia do tipo de Retorno sobre o Patrimônio Líquido que poderão esperar, e da capacidade administrativa da empresa. O Retorno sobre o Patrimônio Líquido é calculado dividindo-se o lucro obtido naquele ano pelo Patrimônio Líquido Médio do mesmo ano. O Lucro vem do Demonstrativo de Resultados e o Patrimônio Líquido do Balanço Patrimonial, que estão disponíveis gratuitamente no site da CVM. (existem outras variações como, por exemplo, utilizar o Patrimônio Líquido do ano anterior, ou o Lucro médio dos últimos cinco anos. Os lucros podem também ser anualizados. Uma forma de estimá-los é somar os quatro últimos resultados trimestrais disponíveis. Os investidores devem ter cuidado para não anualizar resultados de um negócio sazonal onde todos os resultados estão concentrados em um ou dois trimestres). Patrimônio Líquido é a diferença entre Ativos e Passivos existentes no Balanço Patrimonial. Assumimos que esses ativos (sem os passivos correspondentes) são função direta do capital que o acionista colocou no negócio originalmente, assim que ele foi criado. Logo, o Patrimônio Líquido é uma convenção contábil que representam os ativos que foram gerados pelo próprio negócio. A forma mais comum de encontrarmos o Patrimônio Líquido é na forma de valor patrimonial por ação. Valor patrimonial por ação é o Patrimônio Líquido total dividido pelo número de ações existentes. Um valor contábil do negócio que não leva em consideração seu valor econômico intrínseco nem seu valor de mercado. Um negócio que cria bastante Patrimônio Líquido é um bom negócio porquê os investidores que criaram o empreendimento poderão ser recompensados pelos resultados auferidos pelas operações do negócio. Um negócio que possui alto Retorno sobre o Patrimônio Líquido é um negócio que paga condignamente os seus acionistas, criando ativos substanciais para cada real investido. Esses negócios são auto-sustentáveis, pois não necessitam de empréstimos ou investimentos adicionais em Patrimônio para continuar...
Saiba mais...

Soluções para Estoques de Baixo Giro

Estoques de Baixo Giro: A gestão de estoque é uma ferramenta essencial para apoiar os principais propósitos de toda empresa: lucro e a satisfação dos clientes. “Quem faz um controle eficiente do estoque, frequentemente, consegue praticar melhores preços, atende com agilidade e tem mais qualidade no serviço prestado ou produto comercializado”, ressalta Reinaldo Messias, consultor do Sebrae-SP. Ele explica que uma gestão de estoque feita de maneira adequada é aquela que, preocupada com o capital do negócio, está sempre respondendo a cinco questões básicas: Onde estocar? Avalie o espaço físico da área de estocagem: escolha o ambiente, que permita as melhores condições de armazenamento, visualização, acesso e controle dos artigos. O que está estocado e o que devo estocar? Tudo pode, mas nem tudo deve ser estocado, principalmente, se for em quantidade não adequada com o consumo previsto. Tudo vai depender dos riscos que se corre em deixar acabar o item no estoque e o que este fato altera a relação com o cliente, considerando ainda o risco de sobrar material com validade inadequada ou fora de moda. Na prática: suponha que em sua loja de roupas num centro comercial qualquer, você tenha uma vitrine, iluminada por 10 pequenas lâmpadas, onde são expostos os artigos que você mais deseja comercializar. Você necessita ter lâmpadas em estoque? Provavelmente não, pois se alguma queimar você pode providenciar sua reposição a qualquer momento, além do que uma lâmpada a menos não fará grande diferença para o desempenho da atividade. Por outro lado, se a vitrine tiver uma peça que não haja no estoque, você perde chance de promover uma boa venda e deixa seu cliente insatisfeito. Quanto estocar e por quanto tempo? Pense nas seguintes regras para responder a essa pergunta: o estoque não deve estar alto quando o caixa (dinheiro disponível) está baixo; e o nível dos estoques deve acompanhar a venda dos produtos. Quando se tem uma previsão de vendas para o próximo período e as quantidades estocadas de cada artigo, basta acrescentar o tempo e a quantidade mínima exigida pelo fornecedor para repor os artigos a serem estocados. Na prática: supondo uma venda de 10 unidades de uma determinada linha de artigos por dia e se seu prazo para reposição for de três dias, deveremos fazer um novo pedido quando a quantidade percebida em estoque for de trinta unidades, mais uma segurança para eventuais atrasos. É sempre bom, periodicamente,...
Saiba mais...

Como Reciclar Produtos Eletrônicos ?

Como reciclar produtos eletrônicos? O lixo eletrônico, ou e-lixo, ultrapassa as caixas de e-mail (o famoso spam) e invade a esfera material. São memórias, HDs, CPUs completas, monitores CRT (tubo) e uma porção de outros equipamentos eletrônicos que se transformam em lixo num período de tempo cada vez mais curto. Segundo o Greenpeace, a cada ano são gerados 50 milhões de toneladas de lixo eletrônico. Se essa quantidade fosse colocada em contêineres de um trem, os vagões carregados dariam uma volta no mundo. Aparelhos eletrônicos ultrapassados ou quebrados, se descartados indevidamente, contaminam o solo e a água por conter metais pesados, como chumbo, níquel e cádmio. Monitores e televisões de tubo contêm, em média, 1,4kg de chumbo. Atrás da tela, há uma camada desse metal com o objetivo de proteger o ser humano dos raios catódicos emitidos pelo tubo de imagem. No caso de ingestão do chumbo, pode haver danos ao sistema nervoso e reprodutivo. Segundo a StEP, aliança apoiada pela ONU, nem todos os materiais que compõem esses equipamentos são nocivos e podem ser reaproveitados. Uma tonelada de celulares velhos, cerca de 6 mil aparelhos, contém em torno de 3,5kg de prata, 340g de ouro, 140g de paládio e 130kg de cobre; já uma bateria de celular possui 3,5g de cobre. Essa quantidade de material vale cerca de US$ 15 mil. A responsabilidade do descarte desses materiais deve ser dividida entre governo, fabricantes e sociedade. Quanto ao papel do governo, ainda não foram elaboradas leis claras e severas que definam uma prática de destino específico para esse material. Existe uma resolução do Conselho Nacional do Meio Ambiente que impõe limite ao volume de metais nocivos ao homem e ao meio ambiente na fabricação dos novos monitores. Todavia, ainda não há nenhuma punição para o lançamento do lixo tóxico no solo. A atuação dos fabricantes, por sua vez, resume-se a uma minoria que faz, efetivamente, o recolhimento e reaproveitamento de seu lixo, deixando que este seja descartado com o lixo comum. A sociedade ainda está engatinhando no processo de conscientização, mas ainda há muito o que aprender. Muita gente não sabe que uma boa parte desses resíduos pode ser reutilizada ou reciclada, e é capaz de gerar novos e diferentes produtos. E mesmo quem já entende essa necessidade e quer ajudar de alguma forma, não sabe como fazê-lo. Foi pensando na importância do destino dado ao e-lixo que o...
Saiba mais...

Logística Reversa e Coleta Resíduos Sólidos

Falta de conhecimento sobre logística reversa desafia coleta de resíduos sólidos. O pouco conhecimento a respeito de logística reversa pode ser um dos principais problemas que a indústria brasileira enfrentará para elaborar e colocar em prática um Plano Nacional de Resíduos Sólidos (PNRS). A conclusão é de especialistas e até de autoridades do governo. Para o diretor do departamento de competitividade industrial do Ministério de Desenvolvimento, Indústria e Comércio Externo (Mdic), Alexandre Comin, a falta de conhecimento sobre o assunto é uma das maiores dificuldades enfrentadas tanto pelo governo federal como pelas indústrias, para pôr um plano em ação. “Acho que a primeira peça importante que nós colocamos nesse quebra-cabeça foi o estudo de viabilidade técnica e econômica. Foi quando percebemos, há mais ou menos dois anos, com o início do processo, que tínhamos um conhecimento muito escasso sobre o tema”, explicou. Falta de preparo O especialista em direito ambiental e em criminalística do Pinheiro Pedro Advogados, Fernando Pinheiro Pedro, concorda com o representante do ministério no que diz respeito à falta de preparo. Ele cita ainda que, atualmente, existem poucos profissionais aptos, no mercado brasileiro, para desenvolver o PNRS. “O País está lotado de ‘palpiteiros’ e existe uma falta de compromisso por parte de algumas instituições”, afirmou o especialista. Segundo o advogado, há um desconhecimento e uma ignorância muito grande em relação ao assunto. “Além disso, nota-se que alguns ainda não têm certeza absoluta de que a lei entrará em vigor”, ressaltou o advogado. Como anunciado pelo governo federal, em 2014 as empresas que têm unidades no Brasil, deverão dar início ao seu projeto de captação e reaproveitamento de resíduos sólidos. Isso envolverá todo o setor, com o objetivo de diminuir o desperdício de material e incentivar a reciclagem de matéria-prima no País. Segundo Comin, os primeiros estudos realizados, sobre o assunto, pelo Mdic, ajudaram todos os profissionais envolvidos no projeto a se nortear e a ganhar mais conhecimento sobre o tema. No entanto, ele acredita que ainda serão necessários muitos estudos e pesquisas para aprimorar os projetos que já estão sendo desenvolvidos. “Nosso primeiro inimigo é a nossa ignorância. Nós temos um conhecimento limitado sobre uma série de aspectos, por isso, estamos tentando trabalhar nas linhas de menor resistência, como o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) e com agências de fomento”, disse Comin, em encontro realizado, na última sexta-feira, pela Associação Brasileira da Indústria...
Saiba mais...

Assessoria e Consultoria em Corporate Barter

Prestamos serviços de Consultoria e Assessoria em operações de Corporate Barter e Trade. Solicite maiores informações sem compromisso. Email this page
Saiba mais...

Mediação de Negócios

Se sua empresa prefere manter o controle sobre as vendas das Sobras de Estoques, poderemos atuar como mediadores. Estaremos atentamente à escuta das suas necessidades e colocaremos você em contato direto com os compradores e acompanharemos durante as negociações, certificando-nos de que o processo de venda decorrerá rapidamente. Cases e Projetos … Comprar e vender Sobras de Tecidos é no site LiquidaExpress.com, lá você vai encontrar diversos lotes de sobras de estoques de tecidos das maiores industrias de confecção do Brasil. “Clique aqui!” Email this...
Saiba mais...

Verificação e Qualificação de Lotes de Estoques

Mais de 85% dos compradores de lotes de estoques preferem comprar os lotes que foram verificados e qualificados pela Liquidation. Quando você encontrar o selo Verified em um anúncio é porque o lote foi Verificado e Qualificado pela Liquidation, basta clicar na imagem para ver sua certificação (laudo de inspeção). É a Liquidation olhando o lote em detalhes para você. VERIFIED é um processo de verificação local do lote lançado pela Liquidation disponível para nossos clientes. Todo o processo de verificação do lote e do vendedor é feito (in loco) por uma agência de verificação terceirizada ou pelos nossos funcionários qualificados. Além da verificação do lote, verificamos também a documentação do vendedor, as condições de armazenagem das mercadorias, confirmamos o status legal do fornecedor, licenças comerciais, certificações, representante legal, licença do negócio, tipo do negócio, localização da empresa, chefe do departamento responsável pela venda do lote, conta bancária, localização da fábrica, dentre outras informações relevantes. Com base essas informações Verificadas, Avaliamos e Qualificamos o vendedor e o lote que está à venda. Peça mais informações sobre esse serviço. Cases e Projetos … Um fabricante de pneus teve, como consequência de uma modificação de modelo, 30.000 pneus em estoque de um modelo ultrapassado. Através dos nossos contatos no México, conseguimos encontrar uma parte interessada para estes pneus. Ajudamos os nossos clientes através da nossa Grande Rede de Contatos. Email this...
Saiba mais...

Saldão online de estoque excedentes

Saldão online de estoques excedentes é na LiquidaExpress.com. Saiba como comprar e vender gratuitamente clicando aqui, ou, solicite informações a um de nossos Executivos de Negócios. Email this...
Saiba mais...

Venda Seu Estoque Encalhado

Venda correndo o seu estoque “encalhado” antes que seja tarde demais. Terminado o verão quase sempre o lucro do lojista fica no estoque, com as peças não vendidas, também chamado de “encalhe”. As grandes lojas e os grandes magazines não tem nenhuma dúvida nem pena liquidar a mercadoria por preços bem abaixo do custo ou simplesmente de retirar imediatamente essas mercadorias e “queimar” no mercado de saldos. Com isso, abre espaço para a nova estação e não permite que o seu cliente perca tempo e gaste o seu dinheiro com mercadorias de outras coleções. Todo cliente é um comprador esperto e não deixará de comprar uma pechincha ao invés da nova coleção que custa o dobro ou mais. As contas a pagar também são um forte motivo para o comerciante vender seu “encalhe” e fazer dinheiro, realizar o lucro e pagar as contas. Nunca é vantagem para o comerciante manter as peças antigas. O único a fazer é vender por qualquer preço. As empresas que compram esses saldos por uma ninharia são especializadas em revendê-las para os mercados populares. Só pagando muito barato e colocando uma margem de lucro bem pequena conseguem aferir algum lucro. Muitas vezes colocam essas mercadorias em consignação e não conseguem reaver nem a mercadoria nem o dinheiro. Por isso venda logo o seu “encalhe” antes que seja tarde demais para realizar qualquer resultado. Use a Liquidation para ajudá-lo nessa tarefa, faça contato conosco ou, visite nosso site de negócios. Lá negociamos todos os tipos de lotes de sobras de estoques, de um alfinete a uma turbina de avião. Confira! Email this...
Saiba mais...

Onde Comprar Eletrônicos No Atacado

Comprar eletrônicos no atacado apreços indiscutivelmente baixo? Visite nosso site de negócios com sobras de estoques. Email this page
Saiba mais...

Onde comprar Eletrônicos para revender ?

Em nosso site de negócios tem diversos lotes de eletrônicos para vender. São oportunidades únicas de negócio. Email this...
Saiba mais...

Site de Negócios

Somos uma empresa especializada em soluções para sobras de estoques e ativos de baixo giro independente da região em que estejam, das condições de uso, das condições da embalagem, se fora da linha de produção, obsoletos, se novos ou usados. Nosso principal foco é ajudar compradores e vendedores profissionais a negociarem estoques excedentes em um ambiente online associado a serviços com valor agregado. Email this...
Saiba mais...

Sobras de Estoques

Os nossos serviços incluem a venda de estoques excedentes e ativos de baixo giro, manipulação de retornos, reparação, renovação, recuperação de ativos e reciclagem, além de soluções especiais para venda de sobras de estoques in loco (onsite) evitando os custos com logística reversa até o armazém central. Email this...
Saiba mais...


Liquidation - Sobras Salvados Refurbished Pontas de Estoques e Logística Reversa Sobras de Estoques, Ativos de Baixo Giro, Salvados, Refurbished, Excesso de Estoque, Pontas de Estoques, Outlet, Corporate Barter e Logística Reversa., Se sua empresa necessita rapidamente de espaço, armazenamos suas Sobras de Estoques em nosso armazém e cuidamos de vendê-lo através do serviços de venda vend excesso de estoque, sobras de estoques, ativos de baixo giro, salvados, pontas de estoques, outlet, logística reversa, corporate barter, refurbished, atacado, atacadista, comprar, vender, venda consignada